sábado, 29 de setembro de 2018

Vinte governadores disputam a reeleição em outubro



Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A maioria dos governadores dos 26 estados e do Distrito Federal vai disputar a reeleição neste ano. Dos 27 no exercício do cargo, 20 são candidatos a um novo mandato. Destes somente cinco – Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Suely Campos (PP-RR), Robinson Farias (PSD-RN), Zé Eliton (PSDB-GO) e Márcio França (PSB-SP) – têm poucas chances de sucesso eleitoral, segundo indicam as pesquisas regionais de intenção de votos feitas pelo Ibope neste mês e registradas na Justiça Eleitoral.

Os governadores Tião Viana (PT-AC), Paulo Hartung (MDB-ES), Simão Jatene (PSDB-PA), Ricardo Coutinho (PSB-PB) e Luiz Fernando Pezão (MDB-RJ), todos reeleitos em 2014, estão fora da disputa eleitoral este ano. Daniel Pereira (PSB-RO) e Eduardo Pinho Moreira (MDB-SC), vices no exercício do cargo em substituição aos eleitos em 2014, também não vão concorrer em outubro.

Conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), neste ano, foram pedidos 202 registros de candidaturas aos governos estaduais e do Distrito Federal. Até o momento, 182 registros foram aceitos pelos tribunais regionais eleitorais.

A Justiça Eleitoral negou quatro registros. Outros 14 foram indeferidos com recurso, o que dá a possibilidade de o candidato concorrer até o julgamento final. Dois candidatos a governador renunciaram antes do pleito: Fernando Collor (PTC-AL) e Mikaelton Carantino (PCO-CE).

Além dos 20 candidatos à reeleição, em alguns estados a disputa envolve ex-governadores que estiveram no comando em outros tempos. Por exemplo, Antônio Anastasia (PSDB), em Minas Gerais, Renato Casagrande (PSB), no Espírito Santo, José Anchieta (PSDB), em Roraima, José Maranhão (MDB), na Paraíba, e João Capiberibe (PSB), no Amapá.

Agência Brasil

Carlos Eduardo Alves é condenado a tirar vídeos do Facebook e a pagar multa




O juiz Ricardo Tinoco de Góes, auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), condenou a coligação do candidato Carlos Eduardo Alves a retirar vídeos do Facebook que estavam sendo impulsionados contrariando às exigências da lei.

Na decisão, o magistrado ainda aplicou a multa de R$ 10 mil ao candidato contra o impulsionamento pago de propaganda eleitoral negativa veiculada no Facebook.

A legislação diz que é proibida a veiculação de qualquer tipo de propaganda eleitoral paga na Internet, excetuado o impulsionamento de conteúdos, desde que identificado de forma inequívoca como tal e contratado exclusivamente por partidos, coligações e candidatos e seus representantes

Blog do BG

Ex-mulher de Bolsonaro diz que mentiu em processo de separação




Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, falou com a imprensa na manhã deste sábado, em uma manifestação em Itatiaia, no Sul Fluminense, a favor do candidato do PSL à Presidência. Ela usava uma camiseta com os dizeres “Mulher inteligente vota em Bolsonaro para presidente”.

Ana afirmou que mentiu no processo de separação de Bolsonaro, no qual afirmou que ele possuía imóveis não declarados e renda de cerca de R$ 100 mil. O processo foi tema de uma reportagem da revista Veja. O GLOBO confirmou, com levantamento em cartórios do Rio de Janeiro, que Bolsonaro omitiu da Justiça Eleitoral a propriedade de duas casas que, juntas, valen R$ 2,6 milhões

— A gente fala besteira. Todo mundo que se casa não quer se separar. E quando se separa, há mágoas. Então a gente dá, como ele mesmo disse, umas cotoveladas. Foi isso que aconteceu. Não existiu nada daquilo — afirmou.

Ana Cristina também negou que Bolsonaro fosse agressivo e afirmou nunca ter relatado ao Itamaraty que sofreu ameaça de morte do ex-marido, o que a teria levado a se mudar para a Noruega. O jornal Folha de S. Paulo divulgou documento baseado em relato da ex-mulher do presidenciável.

— Eu não disse nada ao Itamaraty. Nunca conversei com cônsul ou vice-consul. Eu não falei com ele — alegou.

A ex-mulher de Bolsonaro também negou que o candidato à Presidência tenha sido responsável pelo sumiço das joias que mantinha num cofre do Banco do Brasil. Ana é candidata a deputada federal pelo Podemos e utiliza o sobrenome do ex-marido na campanha, concorrendo como Cristina Bolsonaro.

O Globo

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

“Um dedo trabalha muito melhor que um pênis”, afirma terapeuta sexual.




(Foto: iStock)

Em onze anos aplicando massagens tântricas, o terapeuta sexual Evandro Palma, 52 anos, calcula ter “veiculado” 30 mil orgasmos. Palma se refere à sua experiência na Sadhana Comunna Metamorfose, autodefinida como um “centro terapêutico de desenvolvimento, pesquisa e expansão da sexualidade humana”. Ele segue um método criado em 1996 pelo coach Deva Nishok, que comanda em Itapeva, Minas Gerais, “o maior espaço dedicado ao tantra do mundo”.

Palma inaugurou o primeiro Centro Metamorfose de São Paulo em 2007, em uma casa de 300 metros quadrados onde atende até hoje, na Vila Madalena, zona oeste. Eram, segundo ele, “meia dúzia de terapeutas”. Hoje, são 28 espaços de atendimento em todo o Brasil e 177 profissionais credenciados. No site do centro, o interessado pode escolher o terapeuta/massagista em um cardápio de 20 profissionais de ambos os sexos, ilustrado com fotos e o resumo do currículo.

Heterossexual, casado, pai de dois filhos, Palma é formado em psicologia com pós-graduação em terapia sexual na saúde e na educação. Na entrevista abaixo, ele conta que a principal queixa da mulher que o procura é não conseguir atingir o orgasmo com o parceiro — apenas sozinha. Em menor escala, aparecem também casos como o de uma senhora muito religiosa, que se masturbava sete vezes por dia. O marido tinha “questões com ereção”. O valor da consulta de 1h30m é R$ 390.

Entrevista completa aqui no Blog do Paulo Sampaio – UOL

Noivo simula o próprio sequestro para fugir de casamento no interior de SP


Faltavam dois dias para a grande cerimônia de casamento da médica Vilma (nome fictício) no santuário Dom Bosco, em Brasília, quando ela recebeu em seu celular mensagens e uma foto de seu noivo sequestrado.

A mulher de 44 anos entrou em desespero, porque o embaixador Marcelo Henrique Morato Castilho, 34, como ela o conhecia, aparecia subjugado pelos criminosos: estava de joelhos, cabeça baixa e possivelmente com as mãos amarradas à frente do corpo.



Imagem enviada por advogado para convencer noiva de seu sequestro – arquivo pessoal

“A polícia está chegando”, escreveu a médica para tentar assustar o sequestrador. “Vai cata O Q Sobra dele. Só quero o $$”, respondeu o algoz. “Quero uma prova de que ele está vivo”, pediu a mulher para continuar as negociações. “E quanto vc quer de dinheiro?”, perguntou.

Ao insistir naquela investigação no dia seguinte, a noiva de São José do Rio Preto ( a 414 km de São Paulo) descobriu que não era Castilho a vítima de um crime, mas ela mesma. O tal sequestro era uma farsa do noivo para fugir do casamento. E mais: longe de ser um embaixador, o homem com quem trocara juras de amor era na verdade um antigo conhecido da polícia pela série de golpes aplicados.

De acordo com a Polícia Civil de São Paulo, o tal “embaixador da ONU”, como Castilho gosta de se apresentar —o nome é verdadeiro—, tem ao menos cinco outras passagens registradas em sua ficha, desde apropriação indébita a estelionato, além de ações na Justiça também sob a acusação de enganar mulheres no estado.

Suicídio aumenta no Brasil: são 31 casos por dia



Foto: Susana Vera/Reuters

O Brasil registrou um aumento de 16,8% na taxa de mortalidade por suicídioentre 2007 e 2016. Dados divulgados nesta quinta-feira, 20, pelo Ministério da Saúdemostram que, no ano mais recente da série, ocorreram 5,8 óbitos a cada 100 mil habitantes. Em 2007, a proporção era de 4,9. O crescimento está relacionado sobretudo ao aumento de casos entre homens. No período analisado, foi de 28%.

Ao todo, foram registrados, em 2016, 11.433 casos de pessoas que tiraram a própria vida no País. Isso equivale a 31 óbitos por dia. A estimativa, no entanto, é de que os números sejam ainda maiores.


“Consideramos que cerca de 20% das mortes não têm a causa registrada”, afirma a diretora de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, Fátima Marinho.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Nova tarifa com reajuste de 13,45% para o transporte interbairros em Parnamirim começa a valer a partir deste sábado



A nova tarifa com reajuste de 13,45% para o transporte interbairros em Parnamirim será aplicada a partir deste sábado (15). Com isso, as linhas de 1 a 5 passarão a cobrar R$ 3 pela passagem, que antes custava R$ 2,65, enquanto a tarifa da linha 6 passará a custar R$ 4 ao invés da anterior, de R$ 3,55.

De acordo com Marcondes Pinheiro, titular da Secretaria Municipal de Segurança, Defesa Social e Mobilidade Urbana (SESDEM), o reajuste anual foi discutido com o Conselho Municipal de Transportes e Tarifas (CMTT), formado por diversos órgãos e instituições do poder público, cooperativas e representantes da sociedade civil.

O reajuste das tarifas para o transporte interbairros foi publicado no Diário Oficial do Município do último dia 11, por meio do Decreto N.º 5.939, de 05 de setembro de 2018.

QUEM DECIDE SOBRE O REAJUSTE TARIFÁRIO

As decisões do CMTT – Conselho Municipal de Trânsito e Transportes são tomadas por representantes dos seguintes órgãos e instituições governamentais: DETRAN/RN – Departamento Estadual de Trânsito; DER/RN – Departamento de Estradas e Rodagem; CPRE RN – Comando da Polícia Rodoviária Estadual;

E ainda, a SETRA – Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes; SEMOP – Secretaria Municipal de Obras Públicas e Saneamento; SEMSUR – Secretaria Municipal de Serviços Urbanos; e SELIM – Secretaria Municipal de Limpeza Urbana.

Blog do BG

Renda das mulheres é 42,7% menor que a dos homens, diz Programa das Nações Unidas

Apesar de as mulheres apresentarem melhor desempenho na educação e terem maior expectativa de vida no Brasil, a renda delas é 42,7% menor que a dos homens (10,073 para mulheres contra 17,566 para homens), segundo dados divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). A média de renda per capita do país é de 13,755.

Ao apresentar o novo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país e do mundo, o órgão destacou a desigualdade de gênero na taxa que considera o acesso da população à educação, saúde e perspectivas econômicas.

De acordo com o levantamento, no Brasil, enquanto o IDH dos homens é de 0,761, na escala que varia de 0 a 1 ponto, o das mulheres é de 0,755 – quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano. A expectativa de vida das brasileiras é de 79,3 anos contra 72,1 anos dos homens. No quesito educação, a projeção de uma menina que entra no ensino em idade regular é permanecer estudando por 15,9 anos e ter uma média de estudo de 8 anos, contra, respectivamente, 14,9 e 7,7 para os meninos.

Países como Uruguai, Venezuela e Argentina mantêm padrões muito mais equitativos entre homens e mulheres, ainda que todos eles sustentem a disparidade econômica por gênero de quase 50% entre a renda de um e outro.


Parte da justificativa pode estar no menor tempo que a mulher dispõe para o mercado de trabalho formal. Um dos dados divulgados pelo Pnud aponta que o Brasil é o país da região onde há menor divisão das tarefas domésticas entre homens e mulheres. De acordo com o levantamento, elas gastam 13,3% mais do tempo em atividades não remuneradas dentro de casa, trabalhando 4,3 vezes mais nestas funções do que os brasileiros. O número ainda pode ser maior, considerando a subnotificação, neste levantamento, do tempo disposto para cuidar de filhos, idosos e familiares doentes.

Com relação à participação política, as mulheres ocupam 11,3% das cadeiras do Congresso Nacional. O número representa o pior resultado da América do Sul e o terceiro pior da América Latina, atrás somente de Belize (11,1%) e das Ilhas Marshall (9,1%). O país com menor IDH do mundo, Níger, tem mais mulheres com assento no Parlamento (17%) do que o Brasil.

Agência Brasil

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Trens Urbanos de Natal não funcionam no Feriado da Independência nesta sexta


A CBTU informa à população que na próxima sexta-feira (07/09), feriado da Independência, o Sistema de Trens Urbanos de Natal não funcionará. O sistema estará disponível novamente no sábado (08/09), a partir das 05h20min na Linha Norte, no percurso Ceará-Mirim/Natal e 05h40min na Linha Sul, no percurso Parnamirim/Natal.




Reprodução do Blog do BG

iPhone 7 Plus e outros smarts famosos estão mais baratos no Brasil; veja preços


iPhone 7 Plus tem tela de 5,5 polegadas com
resolução 1920 x 1080 pixels (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)
O iPhone 7 Plus está mais barato no Brasil. A versão de 256 GB do smartphone da Apple, que normalmente sai por R$ 4.669, já aparece por preços a partir de R$ 3.994 no mercado brasileiro. Outros celulares populares, como o Galaxy J6 e o Zenfone 4 Selfie, telefones com especificações intermediárias da Samsung e Asus, também estão com bons descontos, abaixo dos R$ 1.000 à vista. Confira as principais promoções em aparelhos no Brasil, de acordo com o comparador de preços Compare TechTudo.

Lembrando que, como são baseados nas vendas praticadas pelo varejo, os preços estão sujeitos a mudanças sem aviso anterior.

1. iPhone 7 Plus (256 GB): R$ 3.994


Lançado pela Apple em 2016, o iPhone 7 Plus teve uma alta redução de preço no comércio online, como aponta o Compare TechTudo: de R$ 4.669, em sua versão com 256 GB de armazenamento, o preço caiu para cerca de R$ 3.994, um desconto de mais de R$ 600. Entre as especificações estão uma câmera traseira dupla de 12 MP, capaz de fotografar com o popular Modo Retrato, e uma câmera para selfies de 7 MP.

A ficha técnica ainda inclui o processador A10 Fusion (quad-core de 2,2 GHz), memória RAM de 3 GB e uma tela IPS LCD de 5,5 polegadas com resolução de 1920 x 1080 pixels. Com o iOS 11 instalado de fábrica, o iPhone 7 Plus tem atualização confirmada para o novo iOS 12. Confira mais detalhes do produto no review do iPhone 7 Plus.

2. Galaxy J8 (64 GB): R$ 1.348


Com configurações intermediárias, o Galaxy J8 trouxe para a série J, da Samsung, características dos principais celulares premium da marca, como tela com bordas finas e câmera dupla (16 MP + 5 MP). Anunciado em julho de 2018 com o preço sugerido de R$ 1.899, o smarthone já estava custando bem menos no comércio online, cerca de R$ 1.495. Esse valor, entretanto, caiu para R$ 1.348, segundo o Compare TechTudo.

O Galaxy J8 é equipado com Snapdragon 450 (octa-core de até 1,8 GHz), da Qualcomm, tem memória RAM de 4 GB e roda o Android 8 Oreo. O display de 6 polegadas aposta no formato 18.5:9, mais alongado, e tem resolução HD+ (1480 x 720 pixels). O armazenamento é de 64 GB e pode ser expandido em até 400 GB via microSD.

3. Galaxy A8 Plus (64 GB): R$ 1.799


Substituto do Galaxy A7 (2017), o Galaxy A8 Plus chegou às prateleiras brasileiras em fevereiro com preço inicial bem salgado, R$ 2.699. No Compare TechTudo, porém, o valor já estava em torno R$ 1.853 e foi reduzido ainda mais, para R$ 1.799. Com bordas finas e cantos arredondados, o intermediário premium foi o primeiro da sul-coreana com câmera frontal dupla. Com dois sensores de 16 MP e 8 MP, ele é ideal para fazer selfies com o efeito bokeh.

A tela Super AMOLED de 6 polegadas tem resolução Full HD+ (2220 x 1080), o suficiente para exibir imagens com boa nitidez. O hardware é composto por um processador octa-core de até 2,2 GHz (Exynos 7885), de produção própria da Samsung, e pela memória RAM de 4 GB. Assim como no Galaxy J8, o armazenamento é de 64 GB. O sistema operacional é o Android 7.1.1 Nougat.

4. Galaxy J6 (32 GB): R$ 869


Para os que estão procurando um aparelho abaixo de R$ 1 mil, o Galaxy J6 pode ser uma boa opção. De R$ 955,32, o dispositivo está em promoção no comércio eletrônico e sai por R$ 869, de acordo com o Compare TechTudo. Apesar do preço baixo, o processador Exynos 7870 (octa-core de até 1,6 GHz) e a memória RAM de 2 GB devem rodar satisfatoriamente apps de redes sociais como Facebook, WhatsApp e Instagram, e também de e-mail. A memória interna é de 32 GB.

Outro destaque é a TV Digital, capaz de sintonizar todos os canais abertos brasileiros – de acordo com a região -, em alta definição. Mais simples, o Galaxy J6 tem câmera única de 13 megapixels na traseira e uma câmera de 8 megapixels para selfies, na parte frontal. A tela é de 5,6 polegadas com resolução HD+ (1480 x 720 pixels).

5. Moto Z3 Play (64 GB): R$ 1.759


Com suporte aos Moto Snaps, os acessórios que dão novas funções ao celular, o Moto Z3 Play é o aparelho mais barato da atual família Moto Z. Intermediário, o celular da Motorola conta com o processador Snapdragon 636 (8 núcleos de 1,8 GHz) e opções com 4 GB ou 6 GB de memória RAM. A câmera dupla também marca presença: são dois sensores traseiros de 12 megapixels e 5 megapixels, com aberturas de f/1.7 e f/2.2. A câmera frontal é de 8 MP.

No Compare TechTudo, a edição com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento (expansível em até 2 TB via microSD) caiu de R$ 1.929 para R$ 1.759. Completa a ficha técnica o display Super AMOLED de 6 polegadas com resolução Full HD+ (2160 x 1080 pixels). O sistema operacional é o Android Oreo, com atualização para o Android 9 Pie confirmada.

6. Zenfone 4 Selfie (64 GB): R$ 989

Anunciado pela Asus há um ano e lançado no Brasil em outubro de 2017, o Zenfone 4 Selfie tem foco nas selfies – como o nome indica -, e traz dois sensores frontais de 20 MP e 8 MP, com destaque para a lente grande-angular, ideal para fazer mais pessoas caberem nas fotos. O dispositivo sai de fábrica com o Android 7 Nougat, tem tela de 5,5 polegadas HD (1280 x 720 pixels) e processador Snapdragon 430 (8 núcleos de até 1,4 GHz).

Sua edição mais potente, com 4 GB de RAM e 64 GB de memória interna, teve seu preço reduzido de R$ 1060 para R$ 989, segundo o Compare TechTudo. O aparelho tem suporte a dois chips e bateria com capacidade de 3.000 mAh.

Globo, via Techtudo

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Se você não tira folga do trabalho, está fazendo tudo errado com sua saúde; estudo aponta importância das férias


(nirat/iStock)
Você está colocando salada no prato, batendo cartão na academia em vários dias da semana e… trabalhando sem parar? Pode parar. De nada adianta incluir bons hábitos na sua rotina se você não tira dias de descanso da firma. E quem está falando é a ciência: um estudo da Universidade de Helsinque, na Finlândia, apresentado no último dia 28 de agosto no congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, mostra que quem tem menos de três semanas de férias durante o ano está mais propenso a morrer precocemente.

O alerta vale especialmente para os homens, já que o estudo analisou 1.222 participantes do sexo masculino, que foram acompanhados durante 40 anos. Todos os voluntários contavam com ao menos um fator de risco cardiovascular, como fumar, ser hipertenso, ter colesterol alto, diabetes ou sobrepeso.

Eles foram divididos em dois grupos: um que recebeu indicações precisas dos pesquisadores e outro que atuou como controle. O primeiro foi orientado, durante quatro meses, a praticar exercícios aeróbicos (como corrida, natação e esportes de quadra), adotar uma dieta saudável, emagrecer e parar de fumar. Em alguns casos, houve até indicação de medicamentos para controlar a pressão arterial e o colesterol. A segunda turma apenas recebeu orientações básicas e não contou com o acompanhamento próximo dos cientistas.

A equipe que foi monitorada de perto apresentou, inicialmente, melhora na saúde cardiovascular. Mas depois de 15 anos, mais gente dessa galera tinha morrido. Quatro décadas após o início da investigação, os cientistas avaliaram novamente os participantes e prestaram atenção em fatores como rotina de trabalho, sono e períodos de descanso. E veja só: o pessoal com maior probabilidade de perder a vida eram aqueles que trabalhavam muito e descansavam pouco – e boa parte deles estava no grupo que precisou “andar na linha”.

“O estilo de vida estressante pode ter se sobreposto a qualquer benefício da intervenção que fizemos. É possível também que as regras impostas tenham adicionado ainda mais tensão à rotina deles”, comenta, em nota à imprensa, Timo Strandberg, autor do estudo. Os resultados mostram que os homens que haviam tirado três semanas ou menos de férias durante o ano tinham um risco 37% maior de morrer em comparação aos que descansaram por mais tempo.

Para Strandberg, a pesquisa mostra o quão essencial é evitar que o stress tome conta do dia a dia – principalmente no caso de quem tem problemas cardiovasculares. “Não pense que certos hábitos saudáveis vão compensar por trabalhar demais e não tirar dias de descanso”, alerta o pesquisador. E aí, quando serão suas próximas férias?

Super Interessante

‘Deve ter sobrado 10% do acervo’, diz vice-diretora do Museu Nacional


A vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Serejo, disse em coletiva na tarde desta segunda-feira (3) que “deve ter sobrado 10% do acervo” após o incêndio de domingo (2).

Serejo afirmou ainda que o detector de fumaça do museu não estava funcionando e que serão necessários, a princípio, R$ 15 milhões para a recuperação do museu.

“Houve o contingenciamento de um terço do valor de R$ 514 mil. Esse ano recebemos R$ 240 mil, o que é pouco”, afirmou Serejo, em frente ao Museu Nacional.

Segundo a vice-diretora, foram preservados:


meteorito Bendegó
parte da coleção de zoologia
biblioteca central do museu, outros minerais e algumas cerâmicas.
herbário
departamento de zoologia de vertebrados

Foram destruídos:


tudo que estava no prédio principal, exceto meteoritos
acervo mobiliário do 1º reinado
peças herdadas da família imperial

Ainda segundo a vice-diretora, o incêndio teria começado no segundo andar, mas o laudo só estará pronto dentro de 48 horas.

A Defesa Civil interditou o palácio. Técnicos do órgão identificaram que “existe um grande risco de desabamento, que pode ocorrer com a queda de trechos remanescentes de laje, parte do telhado que caiu e paredes divisórias do prédio”.

Na área externa, no entanto, a avaliação destaca que “devido à espessura das fachadas, não há risco iminente”. Mesmo assim, “foram constatados problemas pontuais, como queda de revestimento, adornos e materiais decorativos (estátuas) fazendo com que a área de projeção das fachadas também permaneça isolada”.



G1

sábado, 1 de setembro de 2018

Mega-Sena deve pagar neste sábado prêmio de R$ 45 milhões




A Mega-Sena pode pagar hoje (1º) um prêmio de R$ 45 milhões para quem acertar sozinho asa seis dezenas do Concurso 2.074. O sorteio está marcado para as 20h, em São José do Cedro (SC).

Segundo a Caixa Econômica Federal, aplicado na poupança o prêmio renderia quase R$ 167 mil por mês.

A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) deste sábado em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas do país. Também é possível jogar pelo computador, tablet ou smartphone. Para isso é preciso ter mais de 18 anos e preencher o cadastro na plataforma de Loterias Online da Caixa.